Rugby Mania

O Rugby

História
Uma lenda bem difundida diz que o desporto surgiu de uma jogada irregular do futebol (Football Association), na qual um jogador do colégio de Rugby (situado na cidade inglesa com o mesmo nome, em Warwickshire), de nome William Webb Ellis[5], teria pegado a bola do jogo com as mãos e seguido com ela até a linha de fundo adversária, em 1823. Contudo, sabe-se que várias formas de jogo com bola existiram pela Europa no século XIX, e que tanto o Rugby Football (o rugby atual que atualmente é controlado pela IRB) quanto o Football Association (o futebol atual que agora é controlado pela FIFA) tiveram caminhos correlatos, sendo, portanto, dissidências de uma mesma forma de jogar futebol.

Fundação da Football Association
A fundação da Football Association deu-se em 26 de outubro de 1863 com 21 clubes unificando as regras das principais vertentes do futebol da Inglaterra como as de Cambridge, as de Sheffield e as de Rugby, durante quase uma década o futebol e o rugby foram o mesmo esporte.

Rompimento com a Football Association e formação da Rugby Football Union
Devido a um desentendimento do clube de futebol Blackheath (um dos fundadores da FA) cujo presidente era Francis Maude Campbell, sobre a retirada de 2 regras do futebol pela Football Association (uma era sobre carregar a bola com as mãos, a outra sobre os tackles), em 26 de janeiro de 1871 em uma reunião em um restaurante em Londres com representantes de 21 teams da Inglaterra é fundada a Rugby Football Union, a primeira entidade controladora do esporte no mundo. Algernon Rutter foi eleito o primeiro presidente da RFU e as primeiras leis do esporte foram oficializadas em junho de 1871.

Primeiro jogo internacional
O primeiro jogo internacional de rugby foi disputado no Raeburn Place em andrew’s na Escócia em 27 de março de 1871 entre Escócia e Inglaterra. O jogo foi vencido pela Escócia por 1 gol e 1 try contra 1 try da Inglaterra

Formação da IRFB (International Rugby Football Board)
Devido a uma discussão sobre um try entre as seleções da Inglaterra e da Escócia em um jogo em 1884, foi criada em 1886 a International Rugby Football Board por Escócia, Irlanda e País de Gales. A Inglaterra se recusou a participar da IRFB pelo fato de terem uma quantidade maior de clubes e por não aceitarem o fato da IRFB reger as leis do esporte. A IRFB proibiu seus membros de organizarem partidas contra a Inglaterra ou contra clubes ingleses até que a RFU aceitasse entrar para IRFB. A Inglaterra só aceitou entrar na IRFB em 1890. Em 1997 a IRFB mudou a sua sede de Londres para Dublin. Em 1998 a entidade passou-se a chamar simplesmente International Rugby Board (IRB).

Desavenças e formação da Rugby League
Devido a desavenças sobre o pagamento de jogadores e profissionalismo do rugby em 29 de agosto de 1895 em um encontro em um hotel em Huddersfield 20 clubes deixaram a RFU e fundaram NRFU (Nothern Rugby Football Union) que em 1922 passaria a se chamar Rugby Football League. O mesmo aconteceu em 1907 com 8 clubes em Sydney na Austrália e foi formada a New South Wales Rugby League. Mais tarde com a autonomia dos 2 códigos do esporte eles começaram a se diferenciar em relação as regras.

Evolução das regras
O Twickenham Stadium, um dos mais tradicionais estádios de rugby do mundo.
Várias mudanças foram aplicadas ao rugby ao longo do tempo e continuam até hoje.[7]
O número de jogadores foi reduzido de 20 para 15 em 1877.
O primeiro sistema de contagem de pontos foi feito em 1889. Antes era marcado apenas o ensaio e o gol separadamente.
O valor do ensaio e da conversão variou ao longo dos anos. Até 1891 o ensaio valia 1 ponto e uma conversão valia 2 pontos. Depois o ensaio passou a valer 2 pontos e a conversão 3. Em 1893 o valor foi trocado e o ensaio passou a valer 3 pontos com a conversão valendo 2 (o valor da conversão mantém-se esse até hoje). Em 1971 o ensaio passou a valer 4 pontos e em 1992 o ensaio passou a valer 5 pontos.
O pontapé de ressalto passou a valer 4 pontos em 1891. Em 1948 passou a valer 3 pontos e mantém-se até hoje.
O pontapé de penalidade valia 2 pontos até 1891, depois passou a valer 3 pontos e mantém-se até hoje.
O goal from mark foi introduzido em 1899 inicialmente valendo 4 pontos, em 1905 passou a valer 3 pontos, e foi abandonado em 1971.
Em 1892 foi adotado o formato da bola oval.

Primeiro campeonato internacional
Em 1883 foi realizado a primeira competição internacional entre seleções, a Home Nations composta por Inglaterra, Escócia, Irlanda e País de Gales, sendo a Inglaterra a primeira campeã. Em 1910 a França entrou no campeonato que passou a se chamar Five Nations. Em 1931 a França saiu do campeonato que voltou a se chamar Home Nations. Em 1947 após a Segunda Guerra Mundial o campeonato voltou a ser disputado juntamente com a França e voltou a ser chamado de Five Nations. Até 1993 não havia nenhum prêmio ao vencedor da competição (nenhum tipo de medalha ou troféu). No ano 2000 a Itália entrou no campeonato que passou a se chamar Six Nations.

A copa do mundo
As primeiras idéias de um campeonato mundial de rugby surgiram no século XIX, mas nunca foram postas em prática. Em 1982 foi sugerida a IRFB a primeira edição da Copa do Mundo em março de 1983 no Reino Unido, mas a idéia não foi a frente. Em junho de 1983, a Austrália propôs ser sede do evento, a Nova Zelândia propôs uma junção a campanha da Austrália para realizar a Copa do Mundo. Em um encontro da IRFB em Paris em 1985 a princípio todas as Home Nations eram contra a realização do evento, mas os esforços da Austrália, Nova Zelândia e França fizeram com que a África do Sul também votasse a favor (mesmo ela estando fora do evento devido ao Apartheid). Logo após a Inglaterra e País de Gales passaram a votar a favor.
Em maio de 1987 começava a primeira Copa do Mundo de Rugby disputada em conjunto com a Austrália e a Nova Zelândia com 16 nações convidadas de todos os continentes, a Nova Zelândia sagrou-se campeã. Em 1991 a segunda Copa do Mundo era disputada na Inglaterra com a introdução das primeiras eliminatórias tendo a Austrália como campeã. Em 1995 com o fim do Apartheid a África do Sul sediou a terceira copa do mundo sagrando-se campeã. Em 1999 a quarta Copa do Mundo foi realizada no País de Gales sendo vencida pela Austrália que passou a ser a primeira seleção a ser bicampeã. Em 2003 a Copa do Mundo foi disputada na Austrália e a Inglaterra tornou-se a primeira campeã mundial do hemisfério norte. Em 2007 a Copa foi disputada na França sendo vitoriosa a seleção da África do Sul (igualando o bicampeonato da Austrália), e em 2011 foi realizada na Nova Zelândia sendo vitoriosa a seleção dona da casa (igualando o bicampeonato ao lado de Austrália e África do Sul).

1995, o profissionalismo
Por tradição e por lei da IRB o rugby era um esporte amador, tanto que essa foi a principal questão do rompimento da rugby union e da rugby league. A questão do amadorismo versus profissionalismo sempre foi muito discutida em torno do rugby union, por um lado se defendia o amadorismo por preservar a verdadeira essência de amor ao esporte, por outro se criticava o fato do rugby ter se tornado um esporte de elite onde apenas os ricos tinham condições de jogar.
Em 26 de agosto de 1995 curiosamente 100 anos após a criação da rugby league, a IRB declara o rugby como esporte “aberto” removendo todas as limitações sobre pagamentos e contratos. O possível motivo dessa decisão se dá ao fato da dificuldade da IRB em controlar o amadorismo no esporte.
Há aqueles que criticam a profissionalização argumentando que ela fez aumentar a qualidade de jogo entre as nações profissionais e não profissionais, o fato é que até hoje em dia muitas uniões ainda relutam contra a profissionalização (como a UAR) e muitas outras ainda limitam a quantidade de clubes e competições profissionais.

O jogo
Existem duas versões do rugby, o Rugby Union (aqui em questão) e o Rugby League. Ver artigo: Comparação entre rugby union e rugby league
O Rugby é disputado por duas equipes de quinze jogadores, numa partida de duas partes de quarenta minutos contínuos, o relógio só para quando algum jogador da 1ªlinha necessita de cuidados médicos.

O Objetivo do Jogo
O objetivo do jogo é marcar o maior número de pontos.

Bola
A bola de rugby é de formato oval, de couro ou de material sintético apropriado. Ela pode ser tratada de modo a torná-la resistente à água e facilitar a aderência. Seu comprimento varia de 28,0 cm a 30,0 cm, com uma circunferência total de 74,0 cm a 77,0 cm, e de seção transversão de 58,0 cm à 62,0 cm, sua pressão deve estar entre 65,71 e 68,75 kPa, tendo assim, entre 410 à 460 gramas. Bolas menores podem ser utilizadas para jogadores mais novos.

O Campo
O campo é de formato retangular, tem comprimento máximo de 144 metros e largura máxima de 70 metros. É dividido pela linha do meio de campo que separa os dois lados. Também é dividido em 2 regiões de touch in entre 10 e 22 metros de comprimento. A superfície deve ser de grama, mas também pode ser areia, barro, neve ou grama artificial. O jogo pode ser sobre a neve, desde que a neve e a superfície subjacente sejam seguros para tal. Não é permitido jogar-se em uma superfície dura permanente como concreto ou asfalto. E no caso de grama artificial, elas devem estar em conformidade com o Regulamento 22 da IRB.

Equipe
Uma equipe de rugby contém 15 jogadores titulares e, normalmente, 7 suplentes. A posição dos jogadores em campo geralmente é composta em linha paralela, sendo que os jogadores não podem se posicionar à frente da bola em jogo.

Equipamento
No rugby são usadas apenas proteções flexíveis, feitas geralmente de tecido, espuma ou borracha. Algumas delas são obrigatórias.
Chuteira – Utiliza-se chuteiras exclusivas do desporto, com travas maiores.
Shoulder pad – Espécie de colete com partes amaciadas. Existem modelos que protegem os ombros, o abdômen, o peitoral, as costas e o bíceps, ou apenas algumas dessas partes. O uso é feito por debaixo da camisa, então o protetor não é visto pelas pessoas.
Boqueira – Proteção para os dentes. Sendo mais comum apenas a proteção única (apenas para os dentes superiores), pois não atrapalha a respiração, nem a comunicação entre os jogadores.
Scrum cap – Espécie de capacete com partes amaciadas para proteger o crânio de impactos de pequena e média força. Seu principal uso é de proteção para as orelhas, evitando o atrito dessas e possível deformação das mesmas. O scrum cap é mais utilizado pelos Avançados do que pelos Linhas. Essa não é obrigatória e a maioria dos jogadores não a utilizam.

Pontuação
Ensaio ou Try (5 pontos) – É marcado quando um jogador consegue apoiar a bola com uma das mãos no chão (toque-no-solo) dentro da “área de validação” adversária, que corresponde a área após a linha dos postes.
Conversão (2 pontos) – Sempre após o try, a equipe marcadora tem a possibilidade de chutar em direção aos postes do ponto paralelo dentro do campo de jogo àquele em que a bola foi apoiada na “área de validação”, tentando fazer com que a bola passe por cima da trave e entre os postes da equipe adversária.
Pontapé de ressalto ou Drop goal (3 pontos) – Durante a partida, um jogador pode desferir um chute tentando fazer a bola passar por cima da trave e entre os postes da equipe adversária. O jogador deve obrigatoriamente fazer a bola tocar no chão e no retorno fazer um chute imediato.
Pontapé de Penalidade ou Penalty Goal (3 pontos) – Ao sofrer uma falta a equipe pode optar por tentar fazer um chuto aos postes no local onde ocorreu a infracção.

Pontuação em torneios
O sistema de pontuação de torneios geralmente usa o seguinte esquema:
Vitória – 4 pontos
Empate – 2 pontos
Derrota – 0 pontos
Ponto bônus – independentemente do resultado do jogo um time pode ganhar um ponto de bônus através dos seguintes critérios:
Marcar pelo menos 4 tries no jogo
Perder por uma diferença de 7 ou menos pontos

Regras do rugby


Passe
No rugby só é possível passar a bola para o lado ou para trás, sendo que os avanços são decorrentes das corridas com posse de bola, só é possível passes para a frente com pontapés. No chute, só podem perseguir a bola, além do chutador, os jogadores que estiverem em linha ou atrás do mesmo no momento do pontapé.
Tackle ou placagem
O tackle é feito agarrando-se o jogador adversário que está portando a bola e conduzindo-o ao chão para que se possa fazer a tentativa de tomada da posse de bola através do ruck.
Ruck
Quando um jogador é tacleado ele solta a bola e é formado um “ruck” podendo mais jogadores também serem adicionados eles se empurram para tentar fazer a bola ficar do lado do time, os jogadores dentro do “ruck” não podem usar as mãos para empurrar a bola.
Maul
O Maul acontece quando três jogadores, sendo um que tem a posse da bola e mais dois, um de cada time, estão em contato.
O que difere o ruck do maul é que a bola não se encontra no chão, e sim na mão do jogador. A linha de impedimento também é formada no último pé, do último homem da formação e os jogadores só podem entrar no maul por trás desse último jogador, sendo a entrada pelo lado penalizada.
Os jogadores devem manter os ombros e cabeça acima da linha da cintura, e o time que não tem a posse da bola não pode derrubar o maul intencionalmente(regras antigas, pois segundo as novas regras definidas pela IRB já é possível derrubar ajudando assim a equipe que defende) . Também não é permitido tirar os jogadores do maul, a não ser que esse seja do time adversário e esteja do lado errado do maul.
Scrum
O scrum ou formação ordenada, é uma situação frequente no rugby, geralmente é usado após uma jogada irregular ou em alguma penalização. Os 8 Avançados das duas equipes formam uns contra os outros. O Scrum-half (Médio-Formação) da equipe que não cometeu a infração insere a bola no meio do “túnel” formado pelas duas primeiras linhas de cada equipe com a finalidade de que os jogadores da sua equipe consigam ganhar (talonar) a bola. As novas regras dizem que qualquer jogador que não faça parte da formação ordenada (composta por avançados e formação) tem que se encontrar a 10m da mesma.
Laterais
Lateral, Lineout ou Alinhamento
Quando a bola sai pela lateral do campo, uma das formas de repô-la em jogo é realizando um alinhamento. O hooker (talonador) da equipe não responsável pelo alinhamento verificado, lança a bola por cima da cabeça no meio das duas linhas formadas por um máximo de oito jogadores Avançados de cada equipe, que tentarão pegar a bola saltando, sem haver disputas corpo-a-corpo.
No alinhamento é permitido que se levantem os jogadores no ar a fim de que seja pega a bola. Normalmente os levantados são os Segundas-Linha ou Terceiras-Linha (Asas) e os que formam o “elevador” são os Pilares, dado que estes, por fazerem parte do pack, tendem a ser mais fortes, enquanto aqueles, corredores, necessitam de maior leveza e agilidade.
Alternativamente, quando a bola é posta pela lateral, a equipe adversária pode repô-la rapidamente para dentro do campo, bastando que ela cruze a linha de 5 metros, sem formação de linhas. Caso a reposição não seja imediata, deve-se proceder ao lineout.
Mark
Quando a equipe adversária chuta a bola e o jogador da outra equipe a pega sem cair no chão e dentro da área de 22 metros, ele pode pedir mark ou marco, que consiste na possibilidade de se dar um chute sem ter o perigo de ser placado. O jogador que pediu marco tem o direito de dar um chute de onde pegou a bola.
Penalidades
Existem vários tipos de penalidades no rugby, com várias formas de serem punidas. Existem 4 formas de se cobrar uma penalidade:
Punt – Um chute para frente, visando fazer a bola sair pela linha lateral. Neste lineout a equipe que cobrou a penalidade terá a posse de bola.
Scrum – Formação de um scrum, com a equipe ofendida pondo a bola no túnel
Run – Simplesmente correr com a posse de bola
Penalty Goal – Tentativa de chute entre as traves, para marcar pontos
Placagem sem a bola / Tackle off ball
Marcado quando um jogador é placado sem a bola, se for intencional pode ser considerada como atitude antiesportiva quase sempre punida com expulsão.
Pass forward
É marcado quando a bola é passada, com as mãos, pra frente. Nesse caso, é formado, no local da penalidade, um scrum.
Offside
Se o jogador fica na frente da linha de uma formação ele está offside,com isso seu time sofre um penal.
Knock on ou Avan
Quando o jogador deixa a bola cair para a frente sem intenção e ela bate no chão, ocorre uma penalização chamada knock on. Nesse caso, é formado, no local da penalidade, um scrum.
Tackle alto
É quando um jogador tacleia o adversário acima da linha dos ombros.Isso é considerado “jogo perigoso”,por isso o jogador leva cartão amarelo ficando fora do jogo durante um determinado tempo; se o jogador fizer isso duas ou mais vezes é expulso.
Arbitragem
No rugby existem três ou quatro árbitros, sendo três de campo. O principal árbitro apita e conduz o jogo em campo e outros dois são os laterais como no futebol. Em competições internacionais ou dentro das grandes ligas, existe ainda o arbitro de vídeo, que assiste a partida pela televisão e tem acesso a recursos para conferir jogadas nas quais os três árbitros têm dúvida ou não chegam a um consenso. Serve também para advertir ou punir jogadores que cometeram agressões contra os adversários durante a partida.
Algo interessante no rugby é que os jogadores não podem falar, discutir e jamais insultar os árbitros. Somente os capitães podem se dirigir ao árbitro, que pode punir um jogador e/ou o time caso tal regra seja desrespeitada.
Existem dois tipos de cartões:
Cartão amarelo – expulsão temporária por 10 minutos.
Cartão vermelho – expulsão permanente do jogo.
Campeonatos
O mais importante campeonato de râguebi é o Copa do Mundo.
Entre seleções
Copa do Mundo
A Copa do Mundo de Rugby é o principal evento entre selecções. Disputada a cada quatro anos desde 1987, trata-se do terceiro evento desportivo mais visto no planeta (atrás apenas da Copa do Mundo de Futebol e dos Jogos Olímpicos). A penúltima edição do evento, ocorrida em 2003, foi assistida por mais de 3,4 bilhões de pessoas (conforme informação do site Rugby World Cup History).
Nova Zelândia 1987 e 2011 , Austrália 1991 e 1999 , África do Sul 1995 e 2007 , Inglaterra 2003.
Outras competições
Outros importantes torneios são a copa das Seis Nações (torneio desportivo entre selecções mais antigas do mundo), disputado pela Inglaterra, Escócia, País de Gales, Irlanda, França e Itália; e o Três Nações, disputado pela Austrália, Nova Zelândia e África do Sul. Além desses campeonatos, as principais seleções do mundo disputam anualmente uma série de amistosos, denominados Tests, os quais são muito valorizados no mundo do rugby.
Entre clubes, seleções regionais e franquias.
Campeonatos Nacionais
Os campeonatos profissionais mais importantes no mundo são: o Campeonato Inglês (Guinness Premiership), o Campeonato Francês (Top 14), a Liga Celta (Celtic League, disputada por equipes de Irlanda, Escócia, País de Gales e, a partir de 2010, da Itália), o Campeonato Italiano (Super 10), o Campeonato Sul-Africano (Currie Cup), o Campeonato Neozelandês (ITM Cup) e o Campeonato Japonês (Top League). Na Inglaterra, na França e na Itália, o modelo de competição escolhido é o de clubes. Na Liga Celta, na África do Sul e na Nova Zelândia, o modelo usado é o de seleções regionais, isto é, equipes que podem representar uma província inteira, mais de uma província, uma parcela de uma província ou uma região designada por algum motivo histórico, geográfico ou meramente esportivo. Com o profissionalismo, o caráter de seleção foi perdido, já que os jogadores podem ser contratados de uma equipe para a outra, mas a representatividade das equipes continua a mesma. No Japão, os times são mantidos por grandes corporações. Na Europa, as ligas geralmente duram o ano todo, começando em meados de agosto e terminando em meados de maio do ano seguinte. No hemisfério sul geralmente as ligas nacionais duram apenas metade do ano, sendo a outra metade disputada as competições internacionais.
Campeonatos Internacionais
Na Europa, há dois grandes campeonatos continentais interclubes: a Copa Européia de Rugby (conhecida como Heineken Cup, ou H Cup), e a Copa Desafio Europeu (ou AMLIN Challenge Cup). A Copa Européia reúne os primeiros colocados dos campeonatos profissionais da Europa, ao passo que a Copa Desafio Europeu reúne as demais equipes dos mesmos campeonatos, assim como equipes de outros países do continente. Há ainda uma terceira competição internacional importante que reúne algumas equipes profissionais e outras semi-profissionais: a Copa Britânico-Irlandesa (a British and Irish Cup), da qual participam equipes das segundas divisões de Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda.
África do Sul, Austrália e Nova Zelândia possuem uma liga internacional que opera no modelo de franquias: o Super Rugby. De 1996 a 2005, a competição era chamada de Super 12, tendo a participação de doze equipes. De 2006 a 2010, ficou conhecida como Super 14, já que dela participavam catorze equipes. A partir de 2011 será chamada de Super 15, e terá a participação de quinze equipes, cinco de cada país. Cada equipe (franquia) do Super Rugby representa uma região. No caso da Austrália, cada uma das cinco franquias representa um estado. No caso das franquias da África do Sul e da Nova Zelândia, cada uma representa um conjunto de equipes dos respectivos campeonatos nacionais (Currie Cup, na África do Sul, e ITM Cup, na Nova Zelândia).
Calendário das principais competições

O terceiro tempo


No Rugby, diferentemente de outros esportes, existe uma “Terceira Parte”, que consiste na reunião das duas equipes para comemorar o jogo e comentar lances e expectativas dos dois times. No Terceiro Tempo é esquecida a possível rivalidade existente entre as duas equipes, o que resulta numa das melhores características do esporte, que é a camaradagem entre os jogadores e entre as torcidas.
É de costume que Terceiro Tempo seja bancado pelo time da casa e oferecido ao time visitante.
O Terceiro Tempo, evidentemente, não é oficial e não há referências a ele nas regras da IRB.
O rugby no mundo
Disputado em mais de 120 países, é extremamente popular sobretudo nas partes do mundo de forte influência inglesa, como nas Ilhas Britânicas, na Austrália (Wallabies), na Nova Zelândia (All Blacks) e na África do Sul (Springboks), além da França (Les Bleus), sendo essas as grandes forças do esporte. É também popular na Itália (Gli Azzurri), na Argentina (Los Pumas) e no Uruguai (Los Teros). Fora dos Jogos Olímpicos desde 1928, tudo indicava que o desporto voltasse à família olímpica nos Jogos de 2012 (mas aí, talvez, com a sua versão reduzida, o rugby de sete jogadores, conhecida como Rugby Sevens), contudo tal expectativa não foi confirmada pelo Comité Olímpico Internacional, tendo sido confirmada a presença do rugby de sete jogadores nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.
O rugby no Brasil
No livro de Tomás Mazzoni, “História do Futebol no Brasil” (Edições Leia, 1950) encontra-se a afirmação de que o rugby foi introduzido no Brasil ainda no século XIX:
“O historiador Paulo Varzea afirma que o primeiro clube de esportes (terrestre e ao ar livre) fundado em 1875 pelos Srs. H.L. Wheatley, A. MacMillan, C.D. Simmons, Amaral, Robinson e Cox (…), recebendo posteriormente a denominação de Paissandu Atlético Clube. Foi esse o primeiro clube organizado no Brasil, mas a tentativa para a prática do futebol entre seus sócios durou pouco, contando-se mesmo o fato seguinte: familiarizado com o futebol, Oscar Cox mandou buscar em Londres uma bola redonda, por volta de 1896, mas teve que, por impropriedade do terreno para o ‘soccer’, aproveitá-la nos exercícios de ‘rugby’ do clube”.
Mazzoni segue dizendo:
“O segundo clube surgido em terra carioca foi o do Clube Brasileiro de Futebol Rugby[13], primeiro a cultivar este esporte no Brasil, fundado em 12 de setembro de 1891, pelos Srs. Alfredo Amaral Fontoura, Virgílio Leite, Oscar Vieira de Castro, Edwin Ral, Sidney Cox, Augusto Amaral e Luiz Leonel Moura, este jovem brasileiro, recém chegado da Inglaterra, onde fora educado no ‘Elizabeth College’, da ilha de Guernsey, no qual aprendera o ‘rugby’ e o futebol ‘soccer’. Foi por sua iniciativa que se introduziu no Rio o ‘rugby’, que logo encontrou adeptos, enquanto que o futebol ‘association’, tentado pelos rapazes do Clube Brasileiro de Cricket e reeditado por Moura, entre 1892 e 1893, foi depois esquecido.”
Mas ao que parece, o rugby tinha outros amantes. Mazzoni, no mesmo livro, relata:
“Em 1896 regressava dos Estados Unidos o Sr. Augusto Shaw, professor do Mackenzie College, que passou a desenvolver grande propaganda do Bola ao cesto e do rugby.”
Mazzoni também cita:
“Além de futebolista, Charles Miller foi ‘cricketer’ famoso, consagrado tenista e temível ‘rugby player’. Em 1888 organizara o primeiro time de rugby em São Paulo o São Paulo Atlético Club famoso como SPAC.”
Porém o desporto só começou a ser praticado com regularidade no país a partir de 1925, em São Paulo, no São Paulo Athletic Club. Neste ano, o Sr. Gordon Rule reuniu jogadores que moravam em São Paulo e que por acaso tivessem praticado esta modalidade de esporte. Cerca de 40 pessoas foram agrupadas em duas equipes que jogavam entre si nos fins de semana, no campo do Floresta e subsequentemente no do C.R. Tietê e no do C.A. Paulistano. Posteriormente, passaram a utilizar-se do Campo do São Paulo Athletic Club em Pirituba – o campo dos ingleses, como era chamado.
Neste mesmo ano, surgiram novas equipes em Santos e no Rio de Janeiro. Em maio de 1926, uma série de jogos interestaduais foram realizados no Brasil. No dia 23, os cariocas venceram os paulistas por 23 a 3; na semana anterior, no dia 16, a equipe de São Paulo havia vencido a de Santos, no primeiro jogo entre as duas cidades. Um jogo interestadual foi de fato jogado em 1911 e alguns outros até antes, mas infelizmente não se tem dados a respeito dos mesmos.
Nesta época, os jogadores, na sua grande maioria, eram membros ou filhos da colônia inglesa; outros, em menor número, eram sírio-libaneses que haviam estudado na Inglaterra. No período compreendido entre 1926 e 1940, foram realizados todo ano algumas partidas entre quadros cariocas e paulistas. Esporadicamente, eram realizados jogos internacionais, como contra os Springboks (seleção da África do Sul) em 1932, e contra a Seleção Britânica em 1936, além de partidas amistosas contra equipes de tripulantes de navios que atracavam nos portos de Santos e do Rio de Janeiro.
A partir da Segunda Guerra Mundial, os ingleses que moravam no Brasil, que praticavam o rugby, foram chamados para defender os países aliados. Desta maneira, o esporte deixou de ser praticado entre os anos de 1941 a 1946. No ano seguinte, as partidas voltaram a acontecer.
Em 1947 os jogos voltaram a ser realizados, porém com menor frequência devido ao pequeno número de jogadores interessados. Tanto que, nesta época, eram disputados apenas jogos entre paulistas e cariocas; os santistas já não conseguiam reunir condições suficientes para formar um time. A partir de 1960, atletas do São Paulo Athletic Club passaram a representar a agremiação. No mesmo ano, surgiu o Aliança Rugby Football Club, formado por atletas argentinos, franceses, ingleses e alguns brasileiros. A mesma iniciativa de se formar um clube surgiu entre os integrantes da colónia japonesa, que criaram em 1961 o São Paulo Rugby Football Club.
Com o crescimento da modalidade do país, foi fundada em 6 de Outubro de 1963 a União de Rugby do Brasil (URB), com sede em São Paulo. O idealizador da entidade foi Harry Donavan. Em 1964, a URB idealizou o 3º Campeonato Sul-Americano de Rugby. Na competição, o Brasil foi vice-campeão. Este torneio trouxe novo impulso, surgindo então, pela primeira vez, a categoria juvenil com a formação das equipes do São Paulo Athletic Club, Colégio Liceu Pasteur e Bertioga Rugby Clube.
Em outubro de 1966 aconteceu a primeira partida entre duas escolas de ensino superior, entre a A.A.A. Horácio Lane, da Escola de Engenharia da Universidade Mackenzie e a A.A.A. Oswaldo Cruz, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Em 1971, houve o início do desenvolvimento do rugby infanto-juvenil em São Paulo. No ano seguinte, em 30 de Dezembro, surge a Associação Brasileira de Rugby (ABR), em substituição a URB. A nova entidade foi reconhecida pelo Conselho Nacional do Desporto. Em 1973, a ABR organizou o 7º Campeonato Sul-Americano de Rugby, em São Paulo. Cinco anos depois, a entidade promoveu o 4º Campeonato Sul-Americano de juvenis.
No início de 2010, a Associação Brasileira de Rugby muda seu nome para Confederação Brasileira de Rugby. A alteração acontece para a entidade se adequar a estrutura administrativa esportiva do Brasil e facilitar o apoio por parte do COB (Comitê Olímpico Brasileiro).
Atualmente são disputadas várias competições nas categorias masculina e feminina adulta, juvenis e universitárias no país. As principais competições realizadas são:
Competições Nacionais
Campeonato Brasileiro de Rugby
Copa do Brasil de Rugby
Liga Sul de Rugby
Campeonato Nordestino de Rugby
Copa Brasil Central de Rugby
Competições Estaduais
Campeonato Paulista de Rugby
Campeonato Paulista de Rugby do Interior
Campeonato Paulista de Rugby Universitário
Campeonato Fluminense de Rugby
Campeonato Gaúcho de Rugby
Campeonato Catarinense de Rugby
Campeonato Paranaense de Rugby
Campeonato Mineiro de Rugby
Todos os campeões do Campeonato Brasileiro de Rugby (Desde 1964)
São Paulo Athletic Club – SP 12 vezes (1964, 1965, 1966, 1967, 1968, 1969, 1974, 1975, 1976*, 1977, 1978, 1999)
Alphaville Tênis Clube – SP 7 vezes (1980, 1982, 1983**, 1985, 1989, 1991, 1992)
São José Rugby Clube – SP 7 vezes (2002, 2003, 2004, 2007, 2008, 2010, 2011)
Niterói Rugby Football Clube – RJ 6 vezes (1976*, 1979, 1983**, 1984, 1986, 1990)
Rio Branco Rugby Clube – SP 4 vezes (1993, 1997, 1998, 2006)
Bandeirantes Rugby Club – SP 4 vezes (1988, 1995, 2001, 2009)
Desterro Rugby Clube – SC 3 vezes (1996, 2000, 2005)
Medicina Rugby (FMUSP) – SP 2 vezes (1973, 1981)
Pasteur Athletique Club – SP 2 vezes (1987, 1994)
São Paulo Barbarians R.F.C. – SP 2 vezes (1970, 1971)
Federação Universitária Paulista de Esportes (FUPE) – SP 1 vez (1972)
*1976 o título foi dividido por SPAC e Niterói **1983 o título foi dividido por Alphaville e Niterói
Fonte: Wikipedia



Cadastre-se em nossa newsletter E-mail