Rugby Mania

Paul Tait

Paul começou a escrever para RugbyMania em 2008. Nascido na Nova Zelândia, mudou-se para o Brasil após encontrar sua esposa brasileira nos EUA, quando trabalhava por lá em 2002. Ele mora permanentemente aqui desde 2006. Seu maior interesse é ver mais equipes competindo em alto nível para termos melhores mundiais de rugby. Paul escreveu um livro Rugby World Cup Argentina 2023 que foi publicado em 2012. Contato: paul_tait@rocketmail.com

Twitter Paul Tait

Testes de Novembro – A análise da segunda semana

novembro 21, 2012 às 23:56h
AgendaDestaqueInternacionaisNotícias
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Este fim de semana contou com 10 partidas internacionais potencialmente interferentes na classificação do ranking do IRB.  A corrida para terminar o mais alto possível em 3 de dezembro e assim obter um sorteio favorável para o Mundial 2015, deu um novo significado para os jogos internacionais deste mês. A primeira semana dos testes contribuiu para o ranking com a França entrando na banda superior no lugar da Inglaterra e, ao fazer isso, também ameaça a Austrália de cair fora da camada superior. A possibilidade existe de a Austrália cair em seguida, e caso isso acontecer haveria uma divisão igual de nações do Hemisfério Sul e do Norte ao longo das três camadas de qualificação automática para o Mundial 2015. O fim de semana também contou com uma partida de nota não-internacional, com a equipe B da Irlanda – os Wolfhounds (Irlanda XV) – enfrentando Fiji. Por não ser um jogo sancionado internacionalmente, não contará para ranking mundial do IRB.

As camadas e o Ranking Mundial antes deste fim de semana:

1 Nova Zelândia 92,91

2 África do Sul 85,50

3 Austrália 84,82

4 França 84,58

____________

5 Inglaterra 83,09

6 Gales 80,60

7 Argentina 80,29

8 Irlanda 79,04

_____________

9 Escócia 77,97

10 Samoa 77,14

11 Itália 76,61

12 Tonga 74,22

Participantes das eliminatórias para a RWC 2015:

13 Canadá 71,39

14 Fiji 70,60

15 Japão 68,89

16 Geórgia 67,95

17 Estados Unidos 67,15

18 Romênia 63,58

19 Espanha 61,63

20 Rússia 61,51

21 Namíbia 59,49

21 Uruguai 59,37

23 Bélgica 59,17

24 Portugal 58,33

25 Chile 58,52

País de Gales 19-26 Samoa

O fim de semana começou no Millenium Stadium com a subestimada Samoa enfrentando o campeão do Seis Nações. Samoa foi impressionante contra o Canadá no fim de semana anterior, enquanto o País de Gales tinha pouco para estar feliz ao perder por 14 pontos contra os Pumas. Samoa é uma equipe que demanda bastante atenção. A pequena população do país significa que ele não é uma opção viável, em termos econômicos, para as nações do Tier One jogarem rugby regularmente por lá. Em junho deste ano a Escócia visitou Samoa e jogou uma partida que foi um jogo internacional absolutamente necessário para Samoa em casa. A Escócia venceu, mas foi apenas no final da partida. Enquanto a Argentina ganhou contra Gales mais uma batalha para o seu reconhecimento, Samoa poderia ser o próximo na fila. É sem dúvida uma seleção melhor atualmente do que a Itália. Sua equipe para enfrentar o País de Gales foi embalada com jogadores profissionais baseados na Europa, Japão, Nova Zelândia ou África do Sul. O País de Gales teve um time que, lesões à parte, estava perto de estar a plena força. A aproximação física de Samoa, no entanto, foi altamente eficaz na obtenção de metros e obrigando o País de Gales a recuar. Samoa realizou jogadas de sucesso, mas em alguns lances ilegais o árbitro julgou desnecessário usar o cartão. Assim como contra a Argentina semana passada, os pontos de País de Gales foram anotados não de tries, mas de chutes de Leigh Halfpenny. O time da casa foi derrotado por três tries a um e o try de Gales veio de uma interceptação. Com este resultado, o País de Gales poderia cair fora da Banda 2, mas agora a equipe está assegurada,  ainda que na 8ª posição. O País de Gales terá agora de bater a Nova Zelândia ou a Austrália ou esperar que a Escócia perca contra Tonga e ou Samoa contra a França.

Geórgia 22-25 Japão

Um resultado impressionante em Tbilisi como os anfitriões da Copa do Mundo de Rugby 2019 ganhando seu segundo jogo internacional na Europa Oriental. Os Brave Blossoms completaram a vitória com um drop gol com o ultimo lance da partida. Ele vai adicionar pontos de ranking para os japoneses, mas no geral ele não terá um impacto significativo porque o Japão entrou no jogo classificado em 15º e a Geórgia em 16º. Isso também significa que as viagens futuras para a Europa vão se tornar muito mais regulares, já que o Japão tem sido relutante em viajar para o oeste nos últimos anos. O Japão receberá o País de Gales em junho de 2013, o que poderia ser interessante porque irá ocorrer na mesma época da turnê dos Lions Britânicos e Irlandeses na Austrália. O Japão vai assim enfrentar uma seleção galesa enfraquecida. A partida contra a Geórgia  foi sem dúvidas a melhor do fim de semana e, como na semana passada, o Japão jogou contra um time com forwards superiores, mas tinha a vantagem de jogar mais ofensivo. De fato, o Japão teve alguns contraataques impressionantes que, no final, garantiram a vitória. A Geórgia começou bem com Merab Kvirikashvili chutando para os Lelos e colocando uma vantagem de 9 a 0 após 12 minutos. Ayumu Goromaru passou dois chutes para cortar a vantagem em três pontos antes do Japão assumir a liderança na metade do tempo com um try de 95 metros marcados por Hirotoko Onozawa – depois de uma sequência de erros da Geórgia quando os europeus iam marcar um try. Goromaru acertou a conversão desde a lateral para dar os japoneses a liderança no intervalo.  Kvirikashvili colocou na frente a Geórgia  (15 a 13) aos 50 minutos  a depois os Lelos ampliaram colocando  o placar em 22 a 13. O Japão, no entanto, reagiu com três penalidade de Goromaru, alcançando o empate. A vitória nipônica saiu de um drop gol (jogada raríssima no rugby japonês) oportunista, disparado por Kosei Ono.

Itália 10-42 Nova Zelândia

Este era um jogo para sublinhar o crescimento do rugby, em termos globais, durante a última década. Os All Blacks continuam a ser o time superior, mas a diferença certamente diminuiu. Mais importante, o jogo foi um exemplo claro da necessidade do mundial de rugby ser encenado em novos lugares. O Estádio Olímpico de Roma estava cheio para a ocasião e o mesmo local é apropriado para hospedar uma final de Mundial. A candidatura italiana para a Copa do Mundo 2015 não foi bem sucedida. A Itália poderia hospedar o torneio em 2027 após a Argentina em 2023, que continua a ser o mais forte candidato, dado que nem a América do Norte ou do Sul já sediaram uma Copa do Mundo de Rugby (a Argentina já foi semifinalista de Mundial e sua equipe  atrai multidões em qualquer estádio no país). Voltando a falar do jogo em si, a Itália jogou bem contra a Nova Zelândia. Os europeus foram muito competitivos nos rucks e controlou bem a bola. No intervalo, um try já havia sido marcado pra azurra que em nada lembrava o time que a Nova Zelândia dominou nas Copas de 1999, 2003 e 2007. Houve um claro sinal de respeito dos visitantes, com Aaron Cruden chutando penais dentro dos 22 metros italiano ao invés de optar para chutar para a lateral. O superioridade do time de preto foi evidente nos últimos 20 minutos, com o os kiwis marcando três tries para sublinhar porque a Nova Zelândia é a melhor equipe do mundo. A Itália usou seus jogadores das Américas, incluindo Sergio Parisse, Martín Castrogiovanni e Luciano Orquera – da Argentina – de titulares. Orquera chutou um drop gol e converteu o try italiano. O Canadá também teve um jogador em campo com Robert Barbieri entrando no segundo tempo .

Namíbia 37-38 Espanha

No início da semana a Espanha e o Zimbabwe jogaram em Windhoek com os europeus obtendo uma vitória confortável. A Namíbia, seleção que teve a programação de testes menos favorável entre todos os 20 países presentes no Mundial 2011, tinha uma clara vantagem sobre a Espanha para este jogo, dado o intervalo de apenas três dias de descanso. O jogo foi disputado em condições complicadas – fazia 40ºC e foi uma partida bem disputada com a liderança trocando as mãos, até que a Espanha reivindicou a vitória com um penal de Jaime Nava no último minuto. Os europeus estiveram muito bem ao se recuperar de um déficit de 26-17 no intervalo para depois passar a liderança. A Espanha vai subir na classificação do ranking e a Namíbia vai perder pontos. O que leva a questionar ainda mais a vaga automática na Copa para os africanos, em detrimento da Europa ou América do Sul que merecem mais. A Espanha agora retorna para casa com duas vitorias e conseguiu aumentar suas chances de qualificação para a Inglaterra 2015.

Inglaterra 14-20 Austrália

Liderando por 14 a 11 no intervalo, a Inglaterra parecia definida para confirmar-se na Banda 1 e enviar a Austrália para a Banda 2. Entretanto, os esgotados  Wallabies efetuaram uma virada e aliviaram a pressão sobre o técnico Robbie Deans. Depois da humilhação em Paris sete dias antes, aquela não estava parecendo a melhor das tardes para a Austrália. Mas desta vez o time manteve-se firme e, na verdade, levou a melhor sobre o adversário no scrum. O desempenho da Inglaterra estava longe de ser impressionante e o time da casa teve a sorte de estar líderando no intervalo. Não só tinha sido a Austrália a melhor, como também o try da Inglaterra marcado pelo samoano Manu Tuilagi foi controverso. A Austrália tomou o controle da partida, dentro e fora da placar, por causa do regresso à forma de Berrick Barnes. Ele chutou 15 pontos, em comparação com Toby Flood quem chutou 9 para Inglaterra e que foi, no final, o que separava as duas nações. A Inglaterra jogou a partida com uma camisa bem diferente que lembrou a do estado da Austrália, Queensland.

Escócia 10-21 África do Sul

Os fãs do rugby galês ficaram extremamente frustrados na noite de sexta-feira, mas puderam relaxar na tarde de sábado, ao saber que  a Escócia não tinha sido capaz de vencer os Springboks e assim ultrapassar o XV do Dragão. Isso significa que a Escócia provavelmente integrará um grupo mais complicado na Copa do Mundo de 2015, semelhante ao que ocorreu no sorteio para 2011, quando a Escócia foi um time da Banda 3 e juntou-se com a Argentina (então banda 2) e com a Inglaterra (que era banda 1). A África do Sul, em contraste, está asegurada, como um lado da Banda 1 para 2015. A vitória do africana foi confortável, mas não excessivamente impressionante. O hooker dos Springboks Adriaan Strauss marcou dois tries, enquanto Henry Pygros entrou como meio-scrum substituto para marcar um try para o time de casa. A Escócia tem agora uma grande chance de vitória em casa, contra Tonga na cidade de Aberdeen, mas tem uma espera ansiosa à frente – no sorteio para a Rugby World Cup 2015. A África do Sul, enquanto isso, vai enfrentar a Inglaterra em Twickenham.

Chile 28-22 Portugal

Tal confronto surge como uma possibilidade em 2014. Ambas as equipes tem boas chances de avançar nas eliminatórias para a Copa do Mundo de Rugby, mas não são susceptíveis de se classificar diretamente. Elas podem, portanto, se enfrentam na repescagem. Há razão para acreditar que as duas equipes têm melhorado nos últimos tempos com a participação de Portugal no Circuito Mundial de Rugby Sevens e do Chile em edições recentes do Troféu Mundial Junior.  Ter uma seleção juvenil forte pode ajudar transformar os Condores em uma equipe superior a do Uruguai a tempo para as eliminatórias sul-americanas para o Mundial 2015 – jogos que vão acontecer em maio de 2013. No meio do jogo contra Portugal, o Chile poderia ter pensado que estava no caminho certo para uma vitória. Os Condores estavam vencendo o jogo por 16-9, mas os Lobos foram capazes de virar ao vencer o segundo tempo por 19 a 5. Foi um jogo raro em casa para o Chile com nenhum time europeu tendo jogado um test match lá desde antes da Copa do Mundo de Rugby de 2007. A última vez que uma nação europeia realizou um teste no Chile foi em agosto de 2007, com o Chile vencendo a Espanha. Em outra ocasião, Portugal e Geórgia jogaram em 2004. Portugal começou a partida como favorito depois de surpreender os Teros no último domingo e ganhar bem no final. O Chile, por outro lado, não jogava desde o Campeonato Sul-Americano em maio. A vitória de seis pontos foi merecida e Portugal vai voltar para casa agora confiante à frente de seus jogos no início de 2013 que contam para as Eliminatórias para a Copa do Mundo de Rugby. O primeiro jogo de Portugal será uma tarefa difícil contra a Romênia, em Lisboa, em 02 de fevereiro.

Tonga 22-13 EUA

Tonga começou e terminou bem o jogo, enquanto os EUA eram a melhor equipe nos estágios intermediários. Os ilhéus do Pacífico marcaram um try não convertido logo cedo para colocar 5 a 0 no placar, mas Tonga não marcaria novamente até o segundo tempo. Os EUA também marcaram um try  no primeiro tempo com o meio-scrum Robbie Shaw marcando seu terceiro neste mês depois de seu dublê contra a Rússia na semana passada. Quem transformou foi o fullback ZachPangelinan que estava fazendo sua estreia na seleção. Após o intervalo, os tonganeses tomaram o controle do jogo marcando dois tries para encerrar a partida. Todd Clever foi o capitão norte americano pela 24ª vez, igualando o recorde detido nos EUA pela lenda Dan Lyle. Semana que vem ele deve passar superar o recorde contra a Romênia em Bucareste.

França 39-22 Argentina

Os sul-americanos começaram a partida com um try espetacular marcado por Marcelo Bosch. Ele foi seguido por dois pênaltis de Nicolás Sánchez e até o marcador de 13 a 3 a Argentina parecia no caminho certo para um primeiro tempo sólido. A França reagiu com três tries para fechar o primeiro tempo em 24 a 13. A França estava parecendo como um time dos Bleus dos anos 1990, jogando com uma marca estendida de ataque, de alto risco de rugby e fazendo-o em velocidade. Os europeus foram capazes de ganhar terreno de forma significativa e criar oportunidades de tries que foram marcados de forma excelente. O rugby continuou a estar em alta qualidade no segundo tempo, mas houve mais erros com os jogadores certamente cansados. Não houve tries após o intervalo e assim todos os pontos vieram dos aberturas com Frederic Michalak tendo um jogo sublime ao marcar 24 pontos. Um jogador que não jogou bem foi Horacio Agulla que foi pego fora de posição duas vezes com Vincent Clerc capitalizando em ambas ocasiões para marcar tries. Agulla foi de maca para fora do campo no segundo tempo depois de sofrer um assustador choque de cabeça com Maxime Mermoz. Horacio Agulla havia se mudado para o centro, uma posição onde ele pode ter um futuro. Ele não deve jogar novamente este mês. O resultado garante lugar da França na Banda 1 com a Argentina praticamente assegurada de se unir com Inglaterra, Irlanda e País de Gales na Banda 2. Embora o ranking mundial do IRB tenha a França como o quarta melhor do mundo há pouco para sugerir que a França não seja hoje a segunda melhor seleção. Sua atualização contra a Austrália e a Argentina colocou os Bleus em segundo hoje em dia com apenas os All Blacks sendo superiores. A França receberá Samoa no próximo fim de semana, enquanto a Argentina encara a Irlanda, em Dublin.

Canadá 35-3 Rússia

Tanto os canadenses como os russos  estavam sem alguns jogadores. O Canadá desempenhou um bom jogo e tinha o controle da partida do início ao fim. Enquanto a defesa canadense foi muito melhor  em relação ao seu desempenho contra Samoa (que marcou cinco tries), o ataque também foi muito melhor, marcando quatro tries desta vez. Todos os tries foram marcados por backs com três deles apoiados por jogadores que não foram selecionados para enfrentar  Samoa  há dois fins de semana. O ponta direito Jeff Hassler marcou um par de tries, um aos 19 minutos de cada tempo. O ponta esquerdo Taylor Paris marcou o primeiro try do segundo tempo, enquanto o primeiro centro Nick Blevins marcou três minutos depois de Paris. Nenhuma das duas equipes terá um teste na próxima semana, mas o Canadá vai jogar contra a Nova Zelândia Maori na Oxford University.

O Ranking Mundial atualizado é o seguinte:

1 Nova Zelândia 92,91

2 África do Sul 86,05

3 Austrália 85,94

4 França 84,99

5 Inglaterra 81,96

6 Argentina 79,89

7 Irlanda 79,04

8 País de Gales 78,95

9 Samoa 78,79

10 Escócia 77,42

11 Itália 76,61

12 Tonga 74,51

 

* Banda 1

* Banda 2

* Banda 3

Videos:

.
País de Gales v Samoa
Imagem de Amostra do You Tube

Geórgia x Japão

Imagem de Amostra do You Tube

Itália x Nova Zelandia

Imagem de Amostra do You Tube

Inglaterra x Austrália

Imagem de Amostra do You Tube

Escócia x Africa do Sul

Imagem de Amostra do You Tube

França x Argentina

Imagem de Amostra do You Tube

Compartilhe
Facebook Twitter Email Delicious

Comente

*
*

Cadastre-se em nossa newsletter E-mail